14 de mai de 2019

Rendas de um vestido de noiva real



É sempre hora de sabermos como, afinal, eram as rendas do vestido de noiva da realeza britânica que aonteceu em no início do seculo XXI (mais exatamente 2011). É uma lição para nós situados fora desse eixo de atividade ...

Jean Leader é rendeira residente na Escócia e membro ativa da IOLI, Internacional Organization of Lace Inc., organização de rendeiras sediada nos Estados Unidos, da qual foi presidente na gestão 2018. O seu artigo veio de uma visita à França, ao Centro de Caudry (https://musee-dentelle.caudry.fr/ ) responsável pela renda do vestido de Kate Midlleton. 

Para saber mais, visite o site de Jean Leader clicando AQUI e abuse do Google Traductor!  

E se tiver oportunidade, deixe um comentario agradecendo Jean por compartilhar com a gente.


8 de mai de 2019

525 anos da assinatura do Tratado de Tordesilhas




A comemoração do 525 º aniversário da assinatura do Tratado de Tordesillas será o evento cultural, social e turístico do ano na cidade de Tordesilhas, Valladolid, Espanha, a ser realizada nos dias  7, 8 e 9 de junho próximo. Além de recepcionar cerca de 25.000 visitantes que são esperados para o evento, o ministro da Cultura e Desportos em exercício, José Guirao, juntamente com o Secretário-Geral da Secretaria-Geral Ibero-Americana (SEGIB), Rebeca Grynspan, abrirão no dia 7, sexta-feira, a exposição que mostrará o documento original dTratado de Tordesillas.

Este documento é o único Património Nacional guardado no Arquivo Nacional da Torre do Tombo, em Lisboa e está inscrito no Registro da Memória do Mundial da UNESCO desde Junho de 2007.

As Casas do Tratado (e a vizinha Igreja de Santa Maria), local de assinatura do acordo entre as duas coroas e que abriga hoje o museu

O Tratado de Tordesilhas é um documento assinado em 1494 pelo Rei Juan II de Portugal e os Reis Católicos da Espanha, um acordo entre as duas coroas que 
 colocou um fim temporário às rivalidades entre Castela e Portugal para alcançar a hegemonia sobre a rota comercial através do Atlântico. 

O significado e impacto histórico do Tratado de Tordesillas era desconhecido na época de sua assinatura pelos próprios signatários. Ele dividia entre os dois reinos um mundo que então ainda não era conhecido pelos europeus, já que Colombo, em sua segunda viagem (que coincidiu com a realização do Tratado) ainda não havia chegado às costas do Novo Continente.

15 de abr de 2019

Classes "on line": cumprindo a função!



A aluna "on line" Cida M Peixoto acompanhou nosso Passo a Passo e nos deu retorno. Abaixo os módulos n°1 e nº2 da aluna onde p progresso é nítido do primeiro para o segundo! É uma satisfação enorme saber que o Passo a Passo atende quem está interessado em aprender. 

Primeiro módulo

Segundo módulo
O PASSO A PASSO está no canal do Youtube NHANDUTI DE ATIBAIA. 
O endereço é site: 
V. pode acessar o PASSO A PASSO pelo endereço, através do nosso portal www.nhanduti.org.br que dá acesso a todos os nossos blogs e midias sociais  ou clicar AQUI!


29 de mar de 2019

Como fazer um "pique" ou "cojin".


Roseta Canária em elaboração 


 No Brasil não temos o costume de usar essa almofada para fazer a Renda Tenerife. Ela é utilizada nas Rosetas das Ilhas Canárias (nossa renda ancestral!) onde tem o nome de cojin, e também nos Soles de Naranjito, a renda da família Sol feita em  Porto Rico. Lá é chamado de "pique". 


Á guisa de ilustração, nos anos 50 fazer a Renda Tenerife estava na moda e apareceram vários inventos para serem usados para montar o urdimento radial, fase inicial da tecelagem desse tipo de renda. A Koppo Cushion foi uma delas inventada e patenteado pelo japones Koppo Saito. 
Veja uma postagem antiga sobre a Koppo Cushion no nosso blog  Museu Virtual da Renda Tenerife clicando nas palavras em  vermelho.
Pique e trabalho de Sandra Rodriguez, de Porto Rico



Voce pode tentar fazer um "pique". Este site tem uma orientação bem completa.
Veja lá: https://www.knitting-and.com/crafts-and-needlework/teneriffe/koppo-cushion/


Diversos

tamanhos de "Cojin"

19 de mar de 2019


Nhanduti de Atibaia organizou um Encontro para conversar sobre Renda Artesanal no dia 16 de fevereiro. Chamamos a Bianca Matsusaki, pesquisadora e estilista, para começar contando um pouco da História da Renda e depois partimos pra conversar sobre o que mais gostamos, A RENDA, ESSA QUIMERA!.

Você sabe o que é uma quimera? é um monstro da mitologia com uma cabeça de leão, outra de cabra e rabo de serpente... que solta fogo pela boca. Com tanta fantasia, passou a significar o impossível. Sonho, esperança ou utopia. Projeto irrealizável.

E Renda Artesanal? A Renda é arte expressa em fios. Não é tecido enfeitado, é o próprio enfeite. Jóias quebradas são pedaços de ouro; pedaços de Renda continuam sendo Renda... Ser matéria e objeto, coisa decorada e decoração, faz da Renda Artesanal uma coisa especial, um sonho, uma utopia. Uma quimera? *

Para animar a conversa, convidamos também alguns experts da área têxtil, bordadeiras e rendeiras ... professores e aprendizes de renda artesanal ... Todos amantes da Renda Artesanal... E quem tinha interesse nessas artes tradicionais quase esquecidas. 

Fizenos uma transmissão on line que ficou meio falha - problemas acontecem. Mas fizemos um resumo bem curo das quase 4 horas de conversa gostosa que tivemos. 

Falamos um pouco de tudo e aprendemos muito. E ficamos querendo mais!

Acesse o vídeo e aproveite para se inscrever no canal e clicar no sininho para ser notificado dos lançamentos futuros!

O endereço é 

23 de fev de 2019

8th Bienal de Arte Textil -WTA 2019


Encerra-se em março próximo o prazo da Convocação Internacional para a WTA - 2019 Madrid que será entre 17 de setembro e 3 de Novembro de 2019, na Capital da Espanha.  Pela primeira vez em sua história de mais de 15 anos a a Bienal de Arte Textil Contemporânea -WTA será sediada fora do Continente Americano.



A Bienal Internacional de  Arte Têxtil WTA  coloca os holofotes sobre os artistas que escolhem se expressar através de fibras e tecidos, dando um novo significado ao seu trabalho e ao conceito de "arte têxtil", fazendo-o explodir em seus muitos significados.
Ultrapassando fronteiras e entrelaçando disciplinas, os artistas participantes da Bienal Internacional de  Arte Têxtil Contemporary - WTA vão das fibras até as novas tecnologias, aventuram-se em diferentes linhas de pesquisa, mesclam estudos e questionam categorias, mantendo sempre o têxtil como elemento integrador.
Mais informações acesse o site clicando em Madrid 2019.



13 de fev de 2019

A RENDA ARTESANAL É UMA QUIMERA?




Nhanduti de Atibaia organizou um Encontro para conversar sobre Renda Artesanal no próximo sábado, 16 de fevereiro, no Clube Recreativo, entre 14h e 17hs. Chamamos a Bianca Matsusaki, pesquisadora e estilista, para começar contando um pouco da História da Renda pra depois conversarmos sobre o que mais gostamos, A RENDA, ESSA QUIMERA!.

Você sabe o que é uma quimera? é um monstro da mitologia com uma cabeça de leão, outra de cabra e rabo de serpente... que solta fogo pela boca. Com tanta fantasia, passou a significar o impossível. Sonhoesperança ou utopia. Projeto irrealizável.

E Renda Artesanal? A Renda é arte expressa em fios. Não é tecido enfeitado, é o próprio enfeite. Jóias quebradas são pedaços de ouro; pedaços de Renda continuam sendo Renda... Ser matéria e objeto, coisa decorada e decoração, faz da Renda Artesanal uma coisa especial, um sonho, uma utopia. Uma quimera? *

Para animar a conversa, convidamos também alguns experts da área têxtil, bordadeiras e rendeiras ... professores e aprendizes de renda artesanal, a Escola Rubbo de Manuyalidades de Campinas ...  uma Colecionadora de artes manuais femininas... Todos amantes da Renda Artesanal... E será benvindo quem mais tenha interesse nessas artes tradicionais quase esquecidas. Somos poucos mas certamente temos muito pra conversar.

O Clube Recreativo Atibaiano fica na Praça da Matriz de Atibaia, no Centro, a 600m da Estação Rodoviária. A Conversa comecará às 14h e faremos uma transmissão on line para quem não puder vir até o local. A entrada é livre, mas se v. nos avisar que está vindo (pelo Facebook ou whatssapp (11) 999 423 818) garantimos seu lugar fresquinho e um café quentinho. Até lá!




Bianca do Carmo Matsusaki, docente e formada em Designer de Moda pelo Centro Universitário SENAC, possui especialização em Produção de Moda e Styling, e mestra em Ciências (Têxtil e Moda) pela USP. Trabalhou como modelista e hoje se dedica a projetos de reaproveitamento de materiais descartados pela indústria buscando alternativas sustentáveis para a moda.

NHANDUTI DE ATIBAIA, Ponto de Cultura certificado pelo Ministério da Culturasurgiu do desejo de manter viva a arte tradicional da Renda Tenerife, também conhecida por Nhanduti. Desde 2003-2004 se dedica à pesquisa, resgate e difusão da técnica por meio de pesquisas e palestras, cursos, demonstrações e outras ações que contribuam para promover a tecelagem da Renda Artesanal que se encontra em vias de esquecimento.

*interpretação livre de texto do Lace Curator, de Elizabeth Kurella, ,

22 de jan de 2019

Mostra bordada: "Só queria embalar meu filho"

A Mostra “Só queria embalar meu filho” traz obras de quase 100 artistas, de nove estados, e homenageia os desaparecidos durante a ditadura.


ALMOFADA DE ANGEL JONES, FILHO DA ESTILISTA ZUZU ANGEL

Os desaparecidos pela ditadura instaurada no Brasil com o golpe de 1964 são homenageados em um trabalho artístico bastante peculiar em exposição em Curitiba, a partir de 26 de janeiro. Trata-se da mostra “Só queria embalar meu filho”, uma obra coordenada pela escultora Rita Isabel Vaz e que conta com a participação de 95 bordadeiras e bordadores de várias partes do país.

Almofadas foram bordadas com os nomes dos desaparecidos e desaparecidas, além de mensagens ou desenhos que de alguma forma representam os homenageados. As almofadas cam dispostas no chão, formando um imenso tapete. A exposição integra o Circuito de Arte Contemporânea de Curitiba, no Museu Municipal de Arte, no Portão Cultural. A entrada é gratuita.


Informe-se mais sobre a Mostra clicando na fonte  AQUI

15 de jan de 2019

CANÇÃO DAS JOVENS RENDEIRAS



Das jovens mãos das rendeiras,
de seus claros equilíbrios
nasce a aurora, é o sol que verte
do ritmo estival dos bilros.
É a paz que flui como as águas
do coração d′almofada.

A aurora tece o algodão,
o algodão tece a fazenda,
mas a rendeira faz tudo:
tece o sonho e tece a renda,
tece o amor, tece a tiara
no coração d′almofada.

Do linho de fibra indócil
faz a rendeira o seu mito.
Flor de espuma e esquecimento,
maré de anseio infinito.
Tece a morte e tece o nada
no coração d′almofada.

É como se a alma estivesse
talhada no labirinto
de solidão que ela tece.
Como se um deus cristalino
vertesse a face esmagada
sobre o enigma d′almofada.

A rendeira tece a morte
nas malhas do labirinto.
Tece o véu, tece a grinalda,
tece a ilusão do destino.
Tece o silêncio e a saudade
no coração d′almofada.

A rendeira tece a vida
nos fusos das almofadas;
tece a túnica dos mortos
e a nudez das namoradas;
tece o riso e tece a lágrima
no coração d′almofada.

A rendeira tece o fado
nas almofadas redondas;
tece o luar, tece as espumas
que se agitam sobre as ondas;
tece o olhar, tece o segredo,
tece o enigma e tece o medo.

A rendeira tece a prece
nas cordas tensas dos bilros.
Tece o mistério que desce,
soleníssimo, dos cimos.
Tece as fibras do algodão
e tece o meu coração. 

Francisco Carvalho
In Dimensão das Coisas, 1967
Ceará/Br, 1927-2013
Copyright © Renda Tenerife ou Renda Sol.Todos os direitos reservados - All Rights Reserved.
Nhanduti de Atibaia