22 de ago. de 2022

Entrega de edição do livro "Nãnduti, Encaje del Paraguay" para a biblioteca do MAIT


    Aproveitando o fato de encontrarem-se reunidos mestres artesãos e investigadores de vários países para a II Jornada Internacional da Roseta de Tenerife em Vilaflor de Chasna, Tenerife, em reconhecimento à importância de Annick Sanjurjo para o estudo sobre o "ñanduti" e as rosetas canárias que se espalharam pelo mundo, foi entregue à Biblioteca do Museo de Artesania  Iberoamericano de Tenerife - MAIT, na pessoa da investigadora Milagros Amador, um exemplar do livro ÑANDUTI, ENCAJE DEL PARAGUAY, de Annick Sanjurjo e Albert Casciero, reedição da obra feita pela Fundaçâo Texo, sediada em Assunção (Paraguai). 
        A doação foi feita a colaboração dos próprios autores, juntamente com o mais novo estudo de Annick Sanjurjo, EL ÑANDUTI, LA MUJER Y LA INFRAHISTORIA DEL PARAGUAY, opúsculo editado pela mesma Fundación Texo que, em 2018, recebeu a doação da importante coleção de peças de ñandutí de Annick Sanjurjo. A instituição mantém desde então em sua sede a "Sala Annick Sanjurjo de Arte Popular", onde expõe as peças de renda ñanduti juntamente com obras de mestres da arte popular e indígena do Paraguai.  

                                                Vídeo sobre a Sala Annick Sanjurjo 

    O livro "ÑANDUTI, ENCAJE DEL PARAGUAY", cuja primeira edição data da década de 1970, apresenta a trajetória da técnica espanhola introduzida no Paraguai e perpetuada pelas mulheres locais, traçando uma análise deste processo que viria a resultar num produto autóctone, o ñanduti paraguaio, e sua importância cultural. A obra mantem-se atual até hoje, continuando a contribuir com os novos estudos e pesquisas das rendas de tecelagem radial que se espalharam pelo mundo.
   Outros exemplares das obras serão doados e entregues à outras duas bibliotecas de museus dedicados ao tema Renda: para a Biblioteca do Museo y Centro Didáctico del Encaje de Castilla y León (Museo del Encaje de Tordesillas), Espanha, e Bibliotewca do The Lace Museum, de Sunnyvale, Ca, Estados Unidos, numa iniciativa do Coletivo Nhanduti de Atibaia, pela gestora Elizabeth Correa, no sentido de contribuir com a pesquisa e promoção dessa técnica que se encontra em processo de esquecimento. 

 Confira acima o vídeo da entrega.

Você pode encontrar informação sobre esta edição do livro clicando AQUI

 Mais material sobre a II Jornada da Roseta e a participação brasileira clicando 


12 de ago. de 2022

II Jornada da Roseta de Tenerife


Nos dias 28, 29 e 30 de Julho de 2022, aconteceu a II Jornada da Roseta de Tenerife, em Vilaflor de Chasna, em Tenerife, uma das Ilhas Canárias. O objetivo do encontro é a preservação de ofícios artesanais em vias de esquecimento, com foco na Roseta de Tenerife, tecelagem autóctone da família dos Soles, cuja principal característica é o urdimento radial. A partir das conquistas espanholas do século XV e do arquipélago a técnica se espalhou pelo mundo, apresentando variações próprias em cada local em que se aculturou, principalmente nas Américas, originando o Ñanduti, os Soles de Maracaibo, a renda Tenerife e outras variações.

 O evento contou com a presença de especialistas e artesãos envolvidos ou interessados na técnica de diversos países onde é praticada. Advindos de países como Brasil, Venezuela, Porto Rico, Paraguai e Croácia, esses convidados buscaram compartilhar estudos, experiências e vivências visando a promoção e salvaguarda da renda.

Elizabeth Horta Correa, fundadora do Coletivo e Ponto de Cultura Nhanduti de Atibaia, se apresentou para expor o evento que organiza e patrocina, o SOL LACE DAY. Em sua fala “Una comunidad unida por las rosetas e los soles”, fala dos quase 20 anos de dedicação ao Soles, as estratégias de resgate, pesquisa e divulgação em diversos países do mundo.

O Evento foi organizado pelo Cabildo de Tenerife em parceria com a Prefeitura de Vilaflor de Chasna, além do Museu de Artesanato Ibero-Americano de Tenerife (MAIT) e da Companhia Insular de Artesanato (ARTENERIFE). Foi transmitido virtualmente pelo Youtube e ficou gravado, podendo ser integralmente acessado através do links https://www.youtube.com/watch?v=9lkMqi42Yj8 e https://www.youtube.com/watch?v=p9iBm49YlpU .

    Abaixo temos a gravação da palestra de Elizabeth Horta Correa Una comunidad unida por las rosetas e los soles”.






4 de jun. de 2022

SOL LACE DAY 2022

SOL LACE DAY es un encuentro que, mediante los Soles, una tejeduría que se a extendido por el mundo y se convirtió en un elemento de unión entre sociedades y culturas, quiere estrechar relaciones, saludar la diversidad y promover artesanos y tejedores de toda parte que, con su arte, mantienen vivo este patrimonio cultural de los pueblos.

 SOL LACE DAY é um encontro que, através das Soles, uma tecelagem que se espalhou pelo mundo e se tornou um elemento de união entre sociedades e culturas, quer reforçar as relações, saudar a diversidade e promover artesãos e tecelões de todo o mundo que, com a sua arte, mantêm viva esta herança cultural dos povos.

 SOL LACE DAY is a meeting that, through the Soles, a weaving that has spread around the world and become an element of union between societies and cultures, wants to reinforce relationships, celebrate diversity, and promote artisans and weavers from all over the world who, with their art, keep alive this cultural heritage of the peoples.

 

20 de mar. de 2022

Reedição do livro "Ñanduti, encaje del Paraguay" de Annick Sanjurjo


O livro da década de 70 de Sanjurjo sobre a renda símbolo do Paraguay foi reeditado pela Fundação Texo. A obra não perdeu sua atualidade e permanece sendo a grande obra sobre o assunto. Pode ser comprado no Museu da Fundação Texo para a Arte Contemporânea na cidade de Assunção, onde também pode ser visitada uma exposição de uma parte da coleção de peças da renda da autora. 

Maiores informações no site https://www.abc.com.py/espectaculos/cultura/2022/03/20/reeditan-libro-sobre-el-nanduti/

26 de jan. de 2022


Foto e tejedor: Adrian Carmona

Em janeiro Trindad, Cidade Criativa por título da UNESCO de 2019, está comemorando 508 anos de  seu nascimento com muita arte e festa. É uma boa ocasião para lembrarmos que no dia 25 de junho próximo teremos o SOL LACE DAY com CUBA.  


O encontro anual com tecedores de Sol de toda parte, o SOL LACE DAY, este ano será no dia 25 de junho tendo como convidado especial e foco de atenção do grupo a arte de agulha tradicional de Cuba, os famosos "desfiados" (deshilados) ou "calados" e os soles, ambos praticados na cidade de Trindad. 



A arte dos "deshilados" ou "calados", que pode ser encontrada em diversos pontos da América Central e Caribe, apresenta excepcional vigor em  Trindad onde também desenvolveu pontos característicos com denominações locais.

O encontro conta com o apoio da Oficina do Conservador e a colaboração do grupo Urdimbre, além do Siempre a Mano e outros projetos e iniciativas locais de artesãos.



Coloque na Agenda. 

dia 25 de junho, às 10:00, hora de Brasília

SOL LACE DAY com CUBA 


23 de jan. de 2022

Isabel Toste (María Isabel Hernández Toste) inovação na arte das rosetas canárias





Em 2015 o poder público de Tenerife, Ilhas Canárias, Espanha, homenageou 15 artesãos por sua contribuição à manutenção de ofícios tradicionais do patrimônio etnográfico de Tenerife, estando entre eles Isabel Toste, uma inovadora da arte do calado, com trabalhos em seda e organdi, além de algodão. 









fontes: https://www.instagram.com/nieves.mait/; https://www.youtube.com; https://www.eldia.es; http://www.tenerifeartesania.es/portal/s33/

28 de dez. de 2021

Coleção de ñandutis de Annick Sanjurjo

 





Annick Sanjurjo doou sua coleção de ñandutis para Fundação Texo, de Assunção/Paraguai, que em 2019 organizou a mostra CONSTELACIONES, com alguns dos exemplares mais representativos e que, no próximo mês de fevereiro, inaugura a SALA ANNICK SANJURJO que além da coleção da pesquisadora, abrigará obras de artistas populares.

 

 


Annick Sanjurjo é pesquisadora, nascida em Assunção e sua obra  ÑANDUTI, ENCAJE DE PARAGUAY, de 1975, permanece  sendo a obra seminal sobre a renda símbolo do Paraguai. 










fonte: Ñanduti, encaje del Paraguay

23 de nov. de 2021

PROMOVENDO O NHANDUTI



NHANDUTI DE ATIBAIA por ELIZABETH CORREA desde setembro último  patrocina uma exposição permanente de Nhanduti na cidade de Socorro, SP. A pequena mostra é um tributo a Rosinha e Gladyz Vita, senhoras que trouxeram e introduziram a técnica na cidade em meados do sec.XX. 

A família Vita, em contrapartida, cederá peças confeccionadas pelas precursoras para serem levadas até o Museu da Renda de Castilha e Leão, em Tordesilhas, Espanha, região que é berço dos "Soles", tecelagem ancestral que teria dado origem ao Nhanduti ou Renda Tenerife praticados na América e no Brasil.




Peças de Nhanduti de Socorro originais dos anos 1950 encontram-se expostas desde então no hall do Centro Administrativo “Profº Imir Baladi”, sede da Prefeitura, lembrando a importância que a atividade artesanal teve para o município e que vem sendo retomada, além de com a inauguração da vitrine pela Secretaria de Cultura, com outras iniciativas como a retomada da técnica por artesãs do Espaço do Artesanato e a aprovação de lei que declara o saber-fazer Nhanduti um patrimônio cultural do município.

A inauguração da vitrina permanente ocorreu no dia 22 de setembro num evento discreto devido às condições sanitárias, encontrando-se entre artesãs e familiares presentes, o secretário de Cultura, Sr. Fernando Murilo Silva, o vereador Tiago Faria, autor da lei do patrimônio e a Sra. Maria Lucia Fagundes, presidente do ICA, que também representou o responsável pela iniciativa, o coletivo NHANDUTI DE ATIBAIA.

peças Rosa e Gladys Vita -  foto acervo Nhanduti de Atibaia


O nhanduti teria chegado na América e no Brasil a partir da Espanha, através da colonização. O NHANDUTI DE ATIBAIA por Elizabeth Correa é um coletivo que se dedica ao resgate e pesquisa da técnica desde 2004-5, tendo iniciado sua pesquisa pelo nhanduti ou renda tenerife, formato da técnica no Estado de S.Paulo, Brasil, estendendo depois o estudo pelas várias ocorrências da técnica na América e no mundo.

8 de nov. de 2021

DIA DEL ÑANDUTI EN PARAGUAY

 


En Paraguay el mes de octubre trae consigo la conmemoración por el Día Nacional del Ñandutí, que es símbolo de la ciudad de Itauguá y representa al Paraguay. 

El ñandutí en principio se realizaba con hilo fino y color blanco, luego, como el hilo fino y blanco es delicado y más costoso se empezó a confeccionar con hilos gruesos y multicolores.

 El ñandutí tiene múltiples aplicaciones, para decoración, accesorios, aros, ropas, “El ñandutí es considerado como el rey de todas las artesanías paraguayas.”, menciona Lourdes Villalba Regúnega, directora de Cultura de la Municipalidad de Itauguá.

El origen del ñandutí es la historia de una aculturación, entre las técnicas artesanales de aguja e hilo provenientes de España. La poeta Josefina Plá​ sostenía que el ñandutí proviene de un encaje originario de las islas Canarias (los soles de Tenerife), que habría llegado a la región con la expedición pobladora de doña Mencia Calderón de Sanabria.

Hace parte de los festejos la muestra El Ñandutí, inspirada en los grandes pintores universales como Leonardo Da Vinci, Frida Kahlo, Salvador Dalí, Johannes Vermeer y Van Gogh, recreando las obras de arte: la Gioconda, Autorretrato Frida, La Navidad de Dalí, La joven de Perla, La noche estrellada y Girasoles, creada por las artesanas Norma Báez, Luisa Villalba y Zunilda Brítez, con la colaboración especial de la artista plástica Gabriela Fernández, que hubo lugar en el espacio cultural y librería Mainumby, nel Casco histórico de Itauguá.



fonte: https://www.ultimahora.com/el-nanduti-considerado-rey-la-artesania-celebra-su-dia-nacional-n2966959.html


17 de out. de 2021

SOL LACE DAY com CANARIAS (parte final- last part)


Realizamos o segundo encontro virtual de interessados e tecedores de Soles, dessa vez tendo artesãos e artesãs especializados nessa técnica das Ilhas Canárias. 

Uma união através dos Soles, o SOL LACE DAY é um evento anual entre interessados, pesquisadores e praticantes dos Soles, uma tecelagem de urdimento radial que a partir da Espanha se espalhou pelo mundo, principalmente nas Américas, adquirindo características próprias em cada local.

É uma técnica muito pouco estudada e se encontra em vias de esquecimento. NHANDUTI DE ATIBAIA com ELIZABETH CORREA dedica-se ao resgate, pesquisa e salvaguarda da técnica desde 2004-05, sempre levando o resultado de sua busca para as redes e mídias sociais que mantem  desde 2006-07, havendo se tornado referência tanto para pesquisadores como para artesãos.

Por um equívoco a gravação tem apenas a parte final do encontro, motivo pelo qual gravamos uma apresentação do PowerPoint do encontro, complementando assim as informações com fotos dos belos trabalhos dos artesãos convidados, que está disponível no Youtube NHANDUTI DE ATIBAIA, link  https://www.youtube.com/watch?v=FeOWHHErrl4


Copyright © Renda Tenerife ou Renda Sol.Todos os direitos reservados - All Rights Reserved.
Nhanduti de Atibaia